Consumir água de poços pode trazer consequências?

Não é em todos os lugares que as companhias responsáveis pelo abastecimento de água conseguem atender, então é necessário recorrer a outros meios de acesso a água, como por exemplo, a extração da água de poço.

A captação da água de poços apresenta-se geralmente como uma solução simples e econômica. Porém, são necessários alguns cuidados para o uso desta água, pois se não for tratada adequadamente poderá transmitir doenças tais como: Hepatite, cólera, esquistossomose, leptospirose, entre outras.

A Portaria 2.914/11 do Ministério da Saúde dispõe sobre o consumo humano e para que a água seja potável determina que a adição de cloro é obrigatória, uma vez que o cloro é responsável pela eliminação de patógenos. Há outros métodos que também realizam a eliminação de patógenos da água tais como: ozonização, radiação ultravioleta, entre outros, porém a Portaria sugere a adição de cloro combinado com esses tratamentos de forma a manter o residual mínimo no sistema de distribuição (reservatório e rede).

Além da adição de cloro, faz-se necessária a análise química da água dos poços. Este controle é importante, pois a presença de alguns elementos químicos poderá resultar em doenças que não aparecem de prontidão, mas sim em longo prazo.

Em águas de poço é comum encontrar metais como o ferro e o manganês, solúveis na água por causa do ambiente redutor do subsolo. O ferro não apresenta caráter tóxico, mas seu sabor é desagradável, também é responsável pela mancha de roupas, louças sanitárias e incrustações na tubulação. Já o consumo em excesso do manganês pode afetar o diretamente o sistema nervoso causando problemas na fala, no comportamento, alucinações e o manganismo (doença semelhante à doença de Parkinson).

A distribuição da água de poço não tratada ou tratada inadequadamente pode apresentar riscos à saúde e trazer consequências legais aos responsáveis.

Para orientações de como adequar o consumo da água de poço conte com a Sinergia Engenharia, clique aqui!

(08/06/2018)

Agatha Julie Seretni Uchi é graduanda de Engenharia Ambiental pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná.

Comente essa matéria:

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    Conheça um pouco mais da Sinergia Engenharia de Meio Ambiente por meio da interpretação da nossa marca.

    + leia mais

    O portfolio foi elaborado com o intuito de apresentar a Sinergia Engenharia de forma resumida.

    + leia mais

    A Sinergia Engenharia oferece serviços de consultoria na área de Meio Ambiente, Segurança do Trabalho

    + leia mais

    O ano é 2018. João, 23 anos, está no supermercado decidindo se compra o produto X ou Y. Ele decide pelo

    + leia mais

    newspaper templates - theme rewards